Praia Sangrenta

Padrão

Estava em meu apartamento, era um dia comum,estava sozinha enquanto esperava minha irmã chegar do trabalho, o prédio como em todas as tardes estava silencioso,mas parecia estar mais silencioso do que o normal.
Alguém bate na minha porta,vou ver, não tem ninguém, pensei que estava louca,sempre escutava barulhos onde não tinha, quando vou ver,uma senhora japonesa estava tentando entrar pela janela da lavanderia,corri e fechei a janela assustada.
Por que Diabos ela queria entrar no meu apto?!
Então começou a luta.
Aquela senhora japonesa queria mesmo entrar no meu apto,e não pelo modo mais fácil, e nossa também comecei a ficar com medo,o que será que ela queria?
Quando gritava e alguém do prédio oferecia ajuda a véia sumia!

Fui para o meu quarto,quando estou indo fechar a porta, vejo que ela conseguiu entrar e esta vindo correndo em minha direção com uma faca!
ELA QUER ME MATAR!
Consegui fechar a porta, tinha que fugir,mas como?
Gritei,gritei,quando vejo alguém na janela,escutaram meus gritos de socorro e os vizinhos do andar de cima improvisaram uma corda para descer até meu quarto.
– Vamos! Desceremos até o primeiro andar, e de lá você foge!
Concordei,então descemos,quando cheguei lá,a senhora estava a minha espera!
– Você é tola mesmo, achou de verdade que alguém daqui iria te ajudar?Na verdade todos nós somos canibais e iremos te comer!

Deram uma risada maligna conjunta,e meu coração quase saindo pela boca,se eu conseguisse sobreviver sem ele,ate seria bom ele sair pela boca,assim eles se ocupavam comendo-o enquanto eu fugia.

Apaguei,sabia que iria morrer,mas não queria.
Quando acordo estou em cima de um cachorro enorme do tamanho de um cavalo,estávamos no mar,não sei como,mas o cachorrão me salvou dos canibais,e estava me levando para algum lugar.

Ele me deixou na beira da praia,em um local que ninguém me veria descendo de um cachorrão com a calça rasgada na bunda.
Quando vi,ele havia sumido, e agora?!
Vi um grande muro e uma escada de pedras,talvez daria até uma cidade,não sei,mas resolvi subir,quando dei o primeiro passo,um carro-barco estacionou na beira da praia,me chamaram, eram gringos, sei La o que eles queriam,mas já estava tão ferrada que mais uma ferração não seria nada demais.
Não conseguimos nos comunicar direito, cada um era de um país,e não sabiam falar muito bem inglês,muito menos eu, mas uma coisa eu sabia, aquela situação estava muito estranha.Jogaram um corpo de um casal do porta malas,do nada,eles queriam me incriminar, pq logo após terem despojado os corpos, pisaram fundo no acelerador do carro-barco dando risada e mandando tchau.
Subi a escada correndo,MEU DEUS, quase fui comida e agora vão me acusar de assassinato,tenho que me esconder!
Realmente,havia uma cidadezinha depois daquela escada de pedra,continuei caminhando,tentando não demonstrar medo,e procurando um modo de esconder aquele enorme furo na calça,bem no meio da bunda,encontrei um restaurante,um restaurante japonês,ironicamente, mas eles queriam me ajudar, não sei,mas perceberam que estava com fome e precisava de uma roupa nova.Me deram tudo,quando um outro japonês disse em sua língua nativa algo apontando para mim.
Todos que entenderam começaram a correr e a gritar,descobriram o casal morto,e havia uma foto comigo perto.

Do nada um puta barulho,o que será?

meu despertador.

Anúncios

Uma resposta »

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s