Pra sempre na memória?

Padrão

Já parou pra pensar como as memórias são importantes na nossa vida?
Quantas coisas antigas,cenas,fatos,aprendizados, são relembradas diariamente? Muitas nos moldaram para o que somos agora.

Quando falamos sobre memórias logo pensamos apenas em coisas como “o dia em que peguei meu primeiro cachorro (que olha eu lembro muito bem apesar de na época ter apenas 5/6 anos,o Custelinha filhotinho era a coisa mais fofa do mundo)” ou até “o dia em que aprendi a andar de bicicleta (sinceramente disso eu não lembro,mas lembro que qnd tinha uns 7 anos adorava andar de bicicleta em volta da piscina e sempre caia de bicicleta,roupa e tudo mais na piscina – era muito divertido sério!)”… Mas nunca pensamos que andar,falar,ler,escovar os dentes são coisas que fazemos todos os dias, e fazem parte da memorização.

Existem diversos casos de pessoas que após um dano cerebral, como encefalite, “esquecem” de como é realizada diversas ações consideravelmente simples.

No livro “Alucinações Musicais” – Oliver Sacks, havia um capitulo que falava sobre a perda de memória e a relação da música.

Houve um caso em que o senhor não lembrava de nada, e se a esposa não colocasse uma música dizendo como que eram feitas as coisas, ele acabava não fazendo, eram musicas, que o senhor não percebia de cara que eram como manuais de vivência para ele, mas que diziam (sim, pasmem) que ele deveria se levantar da cama…com o tempo o senhor se acostumou com a música, e conseguiu “memorizar” os passos, então ele mesmo cantava as músicas, mas se alguém o interrompesse ele ficava atônito, perdido.

Também, o autor citava muitos casos, onde diversas pessoas que estavam com Parkinson,ou algum outro problema de memória logo ficavam tristes, pq apesar de não saber ao certo o que esta acontecendo a pessoa sente um vazio dentro de si,como se faltasse algo, mas ela não sabe ao certo o que é ( o próprio autor citou uma frase de um paciente que disse que às vezes parecia que a vida dele estava vazia por causa disso – isso ocorre as vezes), e a música as ajudava a se sentirem melhores. Principalmente pessoas que possuiam dons musicais e após o trauma acabam se recordando de como se toca, mas apenas no momento.

Também havia o caso de Clive e Deborah, Clive sofreu uma encefalite então sua memória era curta, ele esqueceu de diversos fatos de sua vida, esquecia de vez em quando até de sua mulher Deborah, era que nem o filme da Drew Barrymore – no caso ela esquecia toda vez que ia dormir,já ele esquecia das coisas diversas vezes ao dia- , mas como existem diversos tipos de memória, Clive sempre se emocionava ao ver sua esposa, pq a imagem dela estava na memória emocional.

Às vezes não damos valor para as coisas da vida, muito menos se forem pequenas coisas rotineiras, mas imagine se um dia você se esquecer de tudo que já aconteceu na sua vida? Exatamente TUDO! Se alguém te desse um Master Reset? Foda ne?
Tente dar mais valor à sua vida, à sua memória, tente exercitá-la…existem diversos meios de fazer sua memória trabalhar.

E , quando estiver perto de alguém que tenha deficit de memória, esteja com Parkinson, ou algum outro problema de memória tenha paciência, já é complicado para a pessoa, muitas vezes deprimente, tenha um pouco de compaixão.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s